Segunda-feira, 20 de Setembro de 2021
Telefone: (54) 3383 3400
Whatsapp: (54) 9 9999-7374
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Parcialmente nublado
32°
19°
22°C
Espumoso/RS
Parcialmente nublado
No ar: Café da Líder
Ao Vivo: Café da Líder
Bom Dia Líder

Escassez hídrica faz governo aumentar a bandeira tarifária

Com o reajuste, será cobrado o valor de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumido
Escassez hídrica faz governo aumentar a bandeira tarifária
09.09.2021 07h00  /  Postado por: Roger Nicolini

O Brasil está passando por uma das maiores crises hídricas de sua história, que tem impacto direto na geração e no custo da energia. As usinas hidrelétricas são a principal fonte de energia no país (70% da matriz elétrica nacional) e a baixa nos níveis dos reservatórios demanda o acionamento das termelétricas, com aumento no custo da geração. Parte deste custo é repassado ao consumidor através da cobrança da Bandeira Tarifária, que entrou em vigor no ano de 2015.

Estamos em um período no país de menor nível de reservatórios dos últimos 91 anos e a expectativa é de que não haja recuperação pelo menos até o mês de novembro, pois este período corresponde ao de menor índice de precipitações no país. As usinas termelétricas, que geram um custo cerca de 7 vezes maior que as fontes hídricas, estão acionadas no limite da capacidade, o que encarece o custo da energia elétrica. Isso motivou a ANEEL a criar uma nova bandeira, acima da bandeira tarifária vermelha patamar 2. A “bandeira tarifária escassez hídrica” vigora a partir do dia 1º de setembro, adicionando R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos. O percentual de aumento foi 49,6% (ou R$ 4,71) em relação à atual Bandeira Vermelha Patamar 2 (que cobrava o valor de R$ 9,49 por 100 kWh). Os cidadãos de baixa renda que aderem à tarifa social não serão afetados pelas novas regras da Bandeira Tarifária, sendo mantido o valor atual.

Em anúncio feito em rede nacional dia 31 de agosto, o ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque destacou a necessidade da adoção da medida, salientando o aumento do custo da energia no país, obtida através das fontes termelétricas e da importação de países vizinhos.

O presidente da Coprel e da Infracoop (Confederação Nacional das Cooperativas de Infraestrutura), Jânio Vital Stefanello, destaca as iniciativas colocadas em prática pela Coprel para reduzir o custo da energia aos cooperantes. “Em uma ação de planejamento estratégico, no ano de 2019 fomos a primeira cooperativa permissionária a promover um leilão de compra de energia, que garantiu a redução nas tarifas da Coprel por dois anos consecutivos – 2020 e 2021, mesmo no cenário desfavorável do mercado de energia elétrica”. Com o leilão, a Coprel realizou a compra de energia a longo prazo, o que exige um planejamento detalhado para a realização dos contratos prevendo o crescimento da demanda dos cooperantes. Com isso, a cooperativa conseguiu reduzir o custo da energia comprada, e a ANEEL calculou o desconto aos cooperantes nas duas últimas revisões anuais. Na média geral, a redução chegou a quase 10%, com destaque para a classe residencial urbana que teve redução de mais de 20% nos dois anos.

Ouça a reportagem da assessoria de comunicação da Coprel.

Nas últimas décadas, infraestrutura elétrica nacional cresceu, mas não a ponto de acompanhar a demanda por energia e preparar o sistema para períodos de escassez de água. “Ficamos apreensivos diante deste cenário, pois ao mesmo tempo que sabemos que os investimentos em infraestrutura elétrica no país são historicamente insuficientes, enfrentamos grandes entraves para a construção de pequenas centrais hidrelétricas. A Coprel Geração, outras cooperativas e muitos empreendedores do setor possuem projetos em andamento, que poderiam já estar em operação, minimizando o impacto de crises como esta. Mas estão parados devido aos entraves burocráticos da nossa legislação”, informa Stefanello.

ORIENTAÇÕES

A Coprel realiza campanhas permanentes para o uso eficiente e adequado dos recursos hídricos e da energia elétrica. Através de projetos educacionais, campanhas publicitárias e orientações divulgadas nos meios de comunicação, a cooperativa sempre incentivou a adoção de hábitos conscientes de consumo, além de realizar investimentos de forma permanente para atender os cooperantes com energia de qualidade e disponibilidade no fornecimento.

Portanto, a cooperativa segue orientando seus cooperantes a utilizarem a energia com eficiência, colocando em prática as inúmeras dicas e orientações que são repassadas pela Coprel e pelos meios de comunicação.

 

ECONOMIA DE ENERGIA

Separamos algumas dicas, que além de reduzir o consumo, contribuem com a preservação do meio ambiente. Confira:

– Utilize lâmpadas de LED, pois apresentam uma maior eficiência e durabilidade; E aproveite o sol para iluminação natural, ao invés de acender as luzes;

– Iluminação por sensor é uma boa dica para espaços que necessitem de luz e com pouca circulação de pessoas;

– Combine a iluminação natural com paredes de cor clara, pois desta forma, os espaços aparentam ser maiores, devido a iluminação natural;

– Ao fazer o uso de ar-condicionado, feche todas as portas e janelas. Sempre que possível, limpe os filtros de ar. O recomendado é fazer uma higienização a cada seis meses;

– Desligue da tomada os equipamentos que não estão sendo usados na hora de dormir ou viajar. A soma de todos os aparelhos que ficam em modo de espera pode totalizar até 12% do consumo total de energia de uma residência;

– Evite abrir a geladeira frequentemente. Coloque a temperatura de acordo com a estação do ano, e evite deixar o eletrodoméstico próximo a parede ou outro objeto, pois dificulta a ventilação natural;

– Verifique o estado de conservação da borracha de vedação da geladeira e evite colocar alimentos quentes para refrigeração, nestes casos o compressor necessitará trabalhar mais, aumentando o consumo de energia;

– Busque acumular roupas, tanto para lavar como para passar, organizando-as todas de uma vez;

– Opte por deixar o chuveiro elétrico no modo verão, o resultado é visível na redução do consumo;

E para finalizar, opte por produtos certificados e que possuam o selo Procel, que identificam quais produtos possuem melhor eficiência e menor gasto no consumo de energia elétrica.

Fonte e foto: ASCOM COPREL

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.