Segunda-feira, 14 de Junho de 2021
Telefone: (54) 3383 3400
Whatsapp: (54) 9 9999-7374
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
20°
19°C
Espumoso/RS
Tempo limpo
No ar: Conexão Líder
Ao Vivo: Conexão Líder
Bom Dia Líder

Hospital São Vicente de Passo Fundo possui estoque de medicamento para dois dias

Hospital São Vicente de Passo Fundo possui estoque de medicamento para dois dias
30.03.2021 08h58  /  Postado por: Roger Nicolini

O lote de medicamentos utilizados antes do procedimento de intubação dos pacientes internados nos leitos de terapia intensiva, entregue na noite de sexta-feira (26), deve garantir o estoque por mais dois dias nas alas de UTI Covid do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP).

Um dia antes da chegada dos fármacos, o Comitê Especial de Gerenciamento de Crise para Enfrentamento ao Coronavírus do HSVP emitiu uma nota aos órgãos de saúde pública comunicando que não receberia mais doentes na unidade hospitalar até a reposição das ampolas nas prateleiras da farmácia interna. A decisão, segundo o diretor técnico médico do hospital, Adroaldo Baseggio Mallmann, foi tomada para garantir o atendimento aos pacientes já internados no hospital, que é referência estadual em diversas especialidades médicas. “A CTI está lotada. O medicamento está garantido para os pacientes covid, mas estes remédios são os mesmos utilizados em cirurgias. Por isso, as cirurgias eletivas estão suspensas”, explicou Mallmann. De acordo com ele, a administração hospitalar espera receber mais caixas nesta semana e avalia, também, a possibilidade de importação dos sedativos. Questão condicionada, no entanto, ao tempo até a chegada dos produtos e de autorização da Anvisa.

Na segunda-feira (29), o cenário apresentado no último pronunciamento do HSVP, de necessidade de compra, se manteve, de acordo com a assessoria de imprensa da instituição de saúde. Até o final da tarde de ontem, 71 pacientes com coronavírus se encontravam internados em leitos clínicos e de UTI, enquanto nove aguardavam o resultado do teste para confirmar ou descartar a presença do vírus. “Continuamos, segundo critérios técnicos pertinentes, em uso racional dos medicamentos que integram o “kit de intubação””, afirmou o hospital por meio de nota.

Chegada de insumos

A escassez dos fármacos, como lembrou a entidade hospitalar, é uma preocupação nacional uma vez que a indústria farmacêutica nacional é incapaz, neste momento, de produzir os remédios em grande escala, tamanha demanda pelos insumos hospitalares.

Segundo a planilha da Secretaria Estadual de Saúde (SES), foram enviados ao HSVP 2.950 unidades de atracúrio 10mg/ml, responsável pelo bloqueio neuromuscular para facilitar a intubação endotraqueal; 1.620 frascos de midazolam 5mg/ml – 10ml, utilizado na sedação dos pacientes, e 60 ampolas de Midazolam 1mg/ml – 5ml.

Embora a compra seja de responsabilidade de cada administração hospitalar, a pasta de saúde gaúcha destacou que frente à dificuldade de aquisição no país e ao aumento da demanda desde o ano passado, o governo do Estado e o Ministério da Saúde se articularam para comprá-los excepcionalmente e distribuí-los às instituições com estoques críticos e que prestam atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “A SES realiza um levantamento semanal com os hospitais gaúchos do estoque dos 22 medicamentos para a intubação em UTIs”, pontuou o comunicado da secretaria.

Oxigênio

O diretor clínico do HSVP enfatizou, ainda, que a preocupação no ambiente hospitalar está condicionada à disponibilidade de medicação. Isso porque, como ponderou Mallmann, os tanques de oxigênio hospitalar são suficientes para suprir da demanda de consumo dos pacientes.

Em nota enviada ao jornal O Nacional, a empresa White Martins informou que forneceu aos clientes medicinais contratados na rede pública e privada de Passo Fundo 251 mil metros cúbicos de oxigênio líquido nos últimos seis meses, entre os meses de setembro de 2020 e fevereiro de 2021. Na primeira quinzena de março de 2021, a empresa enviou 49 mil metros cúbicos de oxigênio para as instituições de saúde locais. Este incremento, segundo a fornecedora, representa um aumento de 100% em relação aos seis meses anteriores. “Para atender o aumento da demanda de oxigênio em Passo Fundo, a White Martins já realizou uma adequação de estocagem até o momento”, destacou.

Fonte: Jornal O Nacional/ Passo Fundo

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.