Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020
Telefone: (54) 3383 3400
Whatsapp: (54) 9 9999-7374
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
23°
10°
14°C
Espumoso/RS
Tempo limpo
No ar: Sertanejo Classe A
Ao Vivo: Sertanejo Classe A
Notícias

Governo gaúcho recebe 67 pedidos para alterar cores de bandeiras

Governo gaúcho recebe 67 pedidos para alterar cores de bandeiras
29.06.2020 06h34  /  Postado por: Roger Nicolini

O governo gaúcho recebeu 67 pedidos para rever o mapa de bandeiras da oitava rodada do Distanciamento Controlado, que orienta a ação para combate á pandemia no Rio Grande do Sul. O novo mapa foi apresentado na sexta-feira (26) com nove regiões passando para a bandeira vermelha.

Além das quatro que já estavam com essa classificação (Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo e Capão da Canoa), Caxias do Sul, Erechim, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Santo Ângelo receberam a indicação de risco alto na rodada preliminar do modelo.
O prazo para questionar as bandeiras se esgotou na manhã deste domingo (28). Segundo o site do governo, “em todas as regiões classificadas em vermelho, de risco epidemiológico alto, pelo menos um município ou associação encaminhou recurso”. Das nove regiões em laranja (risco médio) e das duas em amarelo (risco baixo), não houve pedidos. Nenhuma foi classificada em preto (risco altíssimo), diz a nota.
O Gabinete de Crise vai analisar os pedidos e, nesta segunda-feira (29), o governador Eduardo Leite anuncia no começo da tarde o mapa final. As bandeiras da oitava rodada entram em vigor a partir de terça-feira (30).
No total, 301 municípios ficaram com bandeira vermelha no mapa preliminar. Destes, 185 podem adotar protocolos previstos na classificação laranja, sem necessidade de recurso ou revisão da cor, porque não têm registro de hospitalização e óbito por Covid-19 de morador nos últimos 14 dias. Basta que mantenham atualizados os registros nos sistemas oficiais e adotem regulamento próprio, com protocolos para as atividades previstas na bandeira laranja, explicou o governo.
Fonte: Jornal do Comércio
Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.