Quarta-feira, 26 de Janeiro de 2022
Telefone: (54) 3383 3400
Whatsapp: (54) 9 9999-7374
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo nublado
39°
22°
38°C
Espumoso/RS
Tempo nublado
No ar: Conexão Líder
Ao Vivo: Conexão Líder
Notícias

Após derrota nas prévias, Leite diz que PSDB precisa acabar com polaridade “inútil”

Após derrota nas prévias, Leite diz que PSDB precisa acabar com polaridade “inútil”
29.11.2021 06h50  /  Postado por: Roger Nicolini

Após perder as prévias para João Dória, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, afirmou que o PSDB precisa romper com a polaridade “inútil”, uma referência indireta ao ex-presidente Lula e o atual presidente Jair Bolsonaro. Segundo o PSDB, Leite fez 44,66% dos votos dos filiados, enquanto João Doria, governador de São Paulo, atingiu 53,99%. Arthur Virgilio, que também estava na disputa, atingiu 1,35%. A votação começou no domingo passado, mas por problemas técnicos acabou sendo suspensa e foi retomada neste sábado.

Em coletiva após o anúncio oficial, Leite reconheceu o resultado das prévias, num indicativo de que não deverá contestar a derrota.  “João (Doria) o nosso PSDB, nosso partido, confiou a ti. Te desejo toda a sorte porque o Brasil precisa disso. O Brasil precisa que a gente viabilize uma candidatura de centro”, afirmou ele.

Durante as prévias, mas principalmente na última semana, Leite e Doria protagonizaram duras e fortes trocas de acusações, acirrando a disputa.

Eduardo Leite ressaltou que tornou-se candidato após ser procurado por um grupo de deputados em função do desmpenho da sua gestão no Executivo do Rio Grande do Sul. Reforçou a importância da diversidade, lembrando que se assumiu gay há alguns meses.

Especialistas apontam o futuro político de Eduardo Leite

Com o resultado das prévias e a derrota do governador Eduardo Leite, especialistas analisaram quais serão os principais desdobramentos no cenário estadual e do futuro político.

O que dizem os especialistas:

“Com o resultado das prévias, o governador tem sua força um pouco diminuída, deixa de ser um ator nacional mais atuante no curto prazo. Mas continua sendo governador, ou seja, é um eleitor importante. Logo ali, saberemos se terá alguma participação na candidatura do Doria, ou se abrirá uma dissidência. E, quanto ao próprio projeto, nunca fechou completamente a porta para uma candidatura ao Senado, por exemplo.” Cleber Benvegnú, consultor político;

“Se olharmos para o que diz o eleitor, o governador vai à reeleição. Quando a gente vai para a rua, nas perguntas espontâneas, ele está à frente, tem um dos melhores indicadores dos últimos anos. A ideia de que ele não disputará a reeleição não está na cabeça do eleitor hoje. Na hipótese de não ir, virá com força para alavancar um sucessor.” Elis Radmann, cientista social e política.

“O governador vai olhar muito para o RS, onde precisará fazer um sucessor. Até aqui, o discurso tem sido o de um sucessor de um projeto, que pode ou não estar em seu próprio partido. E todas as articulações vão se desenrolar em um cenário que estará muito focado na questão econômica.” José Fuscaldo, especialista em análise política.

“Após Doria vencer as prévias do PSDB, abre-se uma incógnita sobre o futuro do governador Eduardo Leite e a possibilidade de ele disputar ou não a reeleição, apesar de sempre ter negado esta alternativa. Antes de Leite, Antônio Britto, Germano Rigotto e José Sartori também negavam que concorreriam à reeleição, e disputaram novo mandato.” Juliano Corbellini, cientista político e consultor.

“O Senado é uma saída para o governador. Posso até estar equivocado, mas, se ele disputar a reeleição, perde capital político, porque acaba com o próprio discurso. Vice provavelmente também não vai ser. Aqui, jogará em uma eleição que hoje está totalmente aberta. E na qual quem conseguir reunir alguns partidos e possuir uma boa bandeira terá grandes chances.” Marcos Martinelli, especialista em marketing político.

Fonte: Correio do Povo

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.